Abraão em Iraque

“Abraão é o pai ilustre de uma infinidade de povos. Ninguém lhe foi igual em glória: guardou a lei do Altíssimo, e fez aliança com ele.” (Eclesiástico 44,20)

A história de Abraaão se conhece, pelas Sagradas Escrituras:

Eis a descendência de Taré: Taré gerou Abrão, Nacor e Arão. Arão gerou Lot. (Gên 11,27).

O país, aonde nasceu Abraão foi Ur da Caldéia (Gên 11,28).

Lá, Abraão se casou com Sarai (cf. Gen 11,29). Sarai, nos narra a Sagrada Escritura:

Sarai era estéril, e não tinha filhos.” (Gên 11,30).

Mundo del Antiguo Testamento

Viveu algum tempo Abrão com sua esposa em Harã (Gên 12,4). Nesse lugar, Abrão recebeu o chamado de Deus:

Deixa tua terra, tua família e a casa de teu pai e vai para a terra que eu te mostrar. Farei de ti uma grande nação; eu te abençoarei e exaltarei o teu nome, e tu serás uma fonte de bênçãos. Abençoarei aqueles que te abençoarem, e amaldiçoarei aqueles que te amaldiçoarem; todas as famílias da terra serão benditas em ti. (Gên 12,1-3).

 

No território atual de Iraque, Deus pedi a Abrão um sacrificio, que se separe dos seus (cf. Gên 12,1) -da sua familia, da sua terra materna- e que Lhe siga, sem preguntar-lhe nada (cf. Gên 12,1).

Foi pela fé que Abraão, obedecendo ao apelo divino, partiu para uma terra que devia receber em herança. E partiu não sabendo para aonde ia (Heb 11,8).

 

“De fato, são três as promesas que o Patriarca recebeu:

a.- Deus lhe escolhe para fazer dele uma grande nação (cf. Gên 12,2; Jo 8,33.37.39).

b.- Em Abraão, serão abençoadas todas as nações (cf. Gên 12,2; Rom 4,16-17; Eclesiástico 44,20).

c.- Da sua genealogía sairá o Salvador (cf. Mt 1,1-17; Lc 3,23-37)”.

(Monsenhor João Straubinger, A Santa Biblia, Tomo I, comentário a Gên 12,2; 34 p).

 

“Abraão é o pai de todos aqueles que creêm, sejam ou não circuncisos, já que foi escolhido e justificado antes da circuncisão e recebeu tal promesa espiritual antes de ser pai do povo judeu segundo a carne”.

(Monsenhor João Straubinger, A Santa Biblia, Tomo II, comentário a Rom 4,12; 206 p).

 

Abrão obedeceu a Deus e partiu imediatamente com Sarai sua mulher e,  (…) Lot, filho de seu irmão, assim como todos os bens que possuíam e os escravos que tinham adquirido em Harã(Gên 12,5), para dirigir-se a terra de Canaã (Gên 12,5).

Viveu Abrão no território do atual Iraque, setenta e cinco anos (Gên 12,4).

 

A Sagrada Escritura elogiou a nosso pai espiritual: Abraão:

“Foi ela que distinguiu o justo, o manteve irrepreensível diante de Deus, e lhe deu a força para vencer sua ternura pelo seu filho.” (Sab 10,5).

 

E por isso Deus lhe prometeu: “Devido a tua posteridade se abençoara todas as nações da terra, porque obedeceste à minha voz” (Gên 22,18).

 

E pela sua fé e obediência ele recebeu como prêmio a visão do Salvador: “Abraão, vosso pai, exultou com o pensamento de ver o meu dia. Viu-o e ficou cheio de alegria” (Jo 8,56).

 

Logo de partir de Harã (Gen 12,5), já não retornou a sua pátria. Viveu na terra de Canaã  (Gên 12,5), em Egito (Gên 12,10-20), em  Negeb (Gên 13,1).

 

O servo de Abraão retorna à Mesopotâmia, para a cidade de Nacor (Gên 24,10) para escolher entre  sua parentela, a esposa de seu filho Isaac (cf. Gên 24,2-4) e retorna com Rebeca (cf. Gên 24,54-61), a filha de Batuel (cf. Gên 24,23), filho de Nacor (cf. Gên 24,22), quem será a esposa de Isaac (cf. Gên 24,62-67), filho de Abraão e Sara (cf. Gên 21,1-3).

 

Morreu a edade de 175 anos e foi enterrado na caverna de Macpela, situada na terra de Efrom, filho de Seor, o hiteu, defronte de Mambré. (Gên 25,9).

Tagged . Bookmark the permalink.

Deixar uma resposta