ÁSIA/TERRA SANTA – Os escritórios locais da União Europeia: “pesar e preocupação” pelo muro no Vale do Cremisã

Jerusalém (Agência Fides) – Os escritórios de representação da União Europeia (UE) em Jerusalém e Ramallah emitiram uma declaração sobre a recente decisão do Supremo Tribunal de Israel de autorizar o prosseguimento da construção do muro de separação no Vale do Cremisã (veja Fides 8/7/2015).
No comunicado, datado de 10 de julho, se expressa “profundo pesar e preocupação” pela decisão tomada pelo órgão judiciário israelense. “Se foi construída – lê-se no comunicado, enviado à Agência Fides – essa barreira irá restringir severamente o acesso de 58 famílias palestinas às suas terras, e causará consequências profundas em suas vidas.
Além disso, a decisão causará outra usurpação de terras palestinas na área adjacente a Belém, numa área já fortemente afetada pela expansão dos assentamentos”. As famílias palestinas diretamente penalizadas pela decisão do Supremo Tribunal israelense são todas cristãs.
No comunicado dos representantes da UE em Jerusalém e Ramallah se recorda também que a União Europeia apoiou a opinião consultiva com a qual a Corte Internacional de Justiça, já em julho de 2004, tinha definido como “ilegal” a construção do muro de separação em terras confiscadas de forma arbitrária e unilateral.

10665369_407429699464547_1709680791563016285_n

Bookmark the permalink.

Deixar uma resposta